Diocese entrega Constituição Sinodal com seu 8º Plano de Pastoral 

Deseja ver as fotos da bela Cerimônia de Entrega da Constituição Sinodal? Clique no link:

https://www.flickr.com/photos/diocesesa/albums/72157693714445471

Veja também a matéria produzida pela TV Século 21:

Após aproximadamente um ano e meio de trabalho do clero, dos religiosos e dos leigos da Diocese de Santo André, foi entregue a Constituição Sinodal, na noite desta sexta-feira, dia 6 de abril, em Cerimônia que lotou o Cenforpe em São Bernardo, e contou com cerca de 2 mil pessoas, que receberam o Documento Final com as três prioridades eleitas:

Ação Missionária permanente para fortalecer a presença da Igreja junto aos mais pobres das periferias, aos cristãos afastados, aos doentes, e aos grupos mais necessitados de motivação acolhida;

Acolhimento em suas duas dimensões importantes (Cultura e Espiritualidade);

Uma igreja em saída em estado permanente de Missão, com aprofundamento da Iniciação à Vida Cristã e inclusão, com abertura, para todos, por meio de comunidades humanizadas e humanizadoras.

Além do bispo da Diocese de Santo André, Dom Pedro Carlos Cipollini, anfitrião da noite, participaram convidados como o Arcebispo Metropolitano de São Paulo, o Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, o Arcebispo Metropolitano de Campinas e Presidente da Regional Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Airton José dos Santos, o bispo de Guarulhos e presidente da Sub-região Pastoral SP2 da CNBB, Dom Edimilson Amador Caetano, e o bispo de São Miguel Paulista, Dom Manuel Parrado Carral (Clique aqui para ler o que eles disseram).

Dom Pedro destacou a importância da Constituição Sinodal. “Este documento brotou do chão e do coração da Igreja de Santo André, repleto de fé e de amor”, disse o bispo, que destacou a Igreja em saída. “Estamos em novos tempos, de mudança no Grande ABC, com diversidade religiosa maior que em outras épocas”, disse.

Ele ainda agradeceu à participação de todos, pelo empenho na construção do documento. “Agradeço a todos pelo belo trabalho deste Sínodo, que aconteceu. Assim como Deus nos ajudou, Ele vai nos ajudar a colocar em prática tudo”, frisou o pastor do Grande ABC. O Vigário Episcopal para a Pastoral e responsável pelo Sínodo, Pe. Joel Nery, também parabenizou a todos. “É gratidão pela participação de todos. Agora temos o desafio de colocar em prática”, emendou o sacerdote.

Evento

Os participantes, logo que chegavam ao Cenforpe, eram recebidos por atores que interpretavam todos os bispos da Diocese de Santo André, sendo que cada um falava uma frase que remontavam à história da Diocese. Já no palco, todos foram recepcionados pelas bandas Arroios, da Comunidade Católica Shalom, e Estrela da Amanhã, da Paróquia Bom Pastor.

Em seguida, foi a vez dos convidados (Leia aqui) e anunciado a criação do Conselho Regional de Pastoral da Região Ribeirão Pires / Rio Grande da Serra. Antes da entrega da Constituição Sinodal, houve uma apresentação teatral em que contou a história da Diocese.

Uma Palavra dos Bispos presentes sobre o Sínodo

A cerimônia de entrega da Constituição Sinodal, na noite desta sexta-feira (6), no Cenforpe, em São Bernardo, reuniu alguns convidados ilustres: o Arcebispo Metropolitano de São Paulo, Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, o Arcebispo Metropolitano de Campinas e Presidente da Regional da Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Airton José dos Santos, o bispo de Guarulhos e presidente da Sub-Região Pastoral SP2 da CNBB, Dom Edmilson Amador Caetano, e o bispo de São Miguel Paulista , Dom Manuel Parrado Carral.

Todos eles destacaram a iniciativa da Diocese de Santo André em realizar o Sínodo. “Tudo é fruto de uma ação importante para o nosso tempo. As circunstâncias estão nos desafiando nos tempos de hoje. Vocês estão quase no final, quer dizer, quase no final não. Vão começar agora, fazer valer aquilo que foi discutido. Com muita paciência, persistência e com o auxílio do Espírito Santo, os frutos vão aparecer”, destacou Dom Odilo, que também está à frente do Sínodo da Arquidiocese de São Paulo. “Estamos começando agora e percebemos o quanto é desafiador. Faço os votos que os frutos sejam muitos aqui”, completou.

Segundo Dom Airton, a Diocese de Santo André tem um grande desafio na dimensão missionária. “Ser uma Igreja em saída, saí de si mesma. Que sejamos missionários para ajudar os mais que sofrem. Que a palavra de Deus seja revigorada em toda a Diocese”, disse o arcebispo, que fez parte do clero da Diocese de Santo André como sacerdote e também como bispo auxiliar.

Para Dom Edmilson, a Diocese de Santo André entendeu como é ser uma Igreja em saída. “Compreendeu que não pode sair de qualquer jeito. Tem que ter a maneira correta, para que a Igreja saia com um rosto, testemunhando nossa fé católica. (Que o Sínodo) seja um exemplo para todos nós”, frisou.

Filho da Diocese de Santo André, Dom Manuel expressou a felicidade de participar de um momento tão importante na Igreja do Grande ABC. “Me sinto muito alegre em uma noite que será histórica. Acompanhei os quase dois anos e costumamos a dizer quanto é rico este período. Agora é colocar tudo em prática e, conhecendo vocês, sei que vão colocar”, assegurou o bispo de São Miguel Paulista.

Anfitrião, Dom Pedro Carlos Cipollini agradeceu à presença de todos