Diocese de Santo André

Ano Vocacional: saiba os significados do logo e do ícone do Bom Pastor

A Diocese de Santo André já vivenciou mais da metade do Ano Vocacional em 2020. E duas ações que norteiam o simbolismo desta iniciativa inédita na Igreja Católica no Grande ABC são representadas pelo logo e ícone do Bom Pastor. E você sabe os significados e o processo criativo de ambos?

Nesta quarta-feira (05/08), a reportagem diocesana conversa com Lúcio Américo de Oliveira, 40 anos, artista sacro com mais de 100 comunidades atendidas na América Latina, além de trabalhos com arte para publicações religiosas (convites de ordenações, capas de CD e livros). Responsável pelas artes do logo e do ícone do Bom Pastor, Lúcio revela ter levado um mês para o processo de criação, entre estudos e finalizações. Natural de São Paulo, ele é casado, pai e teólogo, licenciado em arte educação e pós graduando em espaço litúrgico: arquitetura e arte sacra. Você pode conhecer mais sobre o seu trabalho no Instagram ou no Facebook.

Saiba as particularidades de cada obra:

*
Logo do Ano Vocacional Diocesano

“Como qualquer arte que verse com o sagrado, o início de todo processo é a oração. Depois vem o entendimento do que é próprio da dimensão vocacional de todo cristão. Então, um arranjo de elementos fortes da tradição simbólica cristã”, explica Lúcio.

Ao centro, a cruz:  um dos símbolos mais fortes do Cristianismo. Nela, recordamos o supremo ato de amor e de entrega de Cristo.

A cruz está inserida num grande sol: esse que não põe jamais. Sua luz nos guia na vida. É um convite luminoso para que nos abramos à graça de Deus e respondamos ao seu chamado.

Abaixo as águas, o batismo: fonte e origem de toda vocação, que nos recorda o compromisso de sermos um com Cristo.

Enfim, um grande círculo, o símbolo da perfeição. Toda a igreja é chamada a orbitar o seu astro magno, o próprio Cristo, uma eterna liturgia, onde cada um com seus dons é chamado aos diversos serviços e ministérios.

Ícone do Bom Pastor

“A arte do Bom Pastor versa sobre o serviço. O senhor acalma a ovelha junto ao seu peito. Ele é o ressuscitado. O Bom Pastor vai até a morte para daí resgatar a humanidade para sua condição original de filhos de Deus”, sintetiza Lúcio.

Com seu cajado, ao mesmo tempo que é a árvore da vida, é o monograma de seu santo nome, suas vestes são brancas, puras, pois primeiro lavou-as no seu sangue, indicado pela faixa vermelha.

Ao fundo, a silhueta da Jerusalém Celeste, nossa pátria definitiva. Caminhamos para ela orientados pela Trindade, representada pelas estrelas.

A ovelha, somos todos nós que Cristo busca e chama para uma vida nova, pois Ele próprio é o Pastor a guiar o cordeiro a oferecer o seu sacrifício e o pasto verde do alimento salutar.

Portanto, mais do que descrever toda rica diversidade das vocações da igreja, a arte lida com o próprio modo de viver a vocação, ou seja, o amor!

Compartilhe:

Ginásio lotado com mais de 7 mil pessoas marca celebração dos 70 anos da Diocese de Santo André

Catedral diocesana celebra sua padroeira

Padre Toninho assume nova missão na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Jovens Sarados comemoram 15 anos com missa presidida pelo bispo diocesano

ENCONTRO CHEGA AO FIM COM REFLEXÃO SOBRE PERSPECTIVAS PARA A AÇÃO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIL

PARTICIPANTES DE ENCONTRO DESTACAM PROPOSTA DE SINODALIDADE NA AÇÃO PASTORAL DA IGREJA

“O COORDENADOR DE PASTORAL É UM MEDIADOR DA GRAÇA DE DEUS E PROMOVE A COOPERAÇÃO NA COMUNIDADE”, DISSE NÚNCIO APOSTÓLICO

Encontro Diocesano dos Coroinhas e Cerimoniários reúne mais de 2500 jovens e crianças

Nossa Senhora do Carmo

nomeacoes

Nomeação e provisões – 03/07/2024