Diocese de Santo André

Padres Ervino e João Garbossa celebram 60 anos de sacerdócio

A Diocese de Santo André realizou a abertura do Ano Vocacional no início deste mês. E dois presbíteros são exemplos de longevidade quando o assunto é vocação sacerdotal. Os padres Ervino Luiz Vivian e João Garbossa celebraram o jubileu de diamante – 60 anos de sacerdócio, cada um -, na manhã de domingo (08/12), na Matriz de São Bernardo do Campo, Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem. Diante de uma igreja lotada de fiéis, os missionários scalabrinianos fizeram um breve discurso em agradecimento pela caminhada de seis décadas a serviço da Igreja. Ambos preferiram exaltar o povo de Deus.

“A nossa alegria de ser padre é a sede e a fome de vocês. Sede e fome do perdão dos pecados. Sede e fome da luz e da adoração. Sede e fome da eucaristia. Vamos louvar a Deus. A festa não é minha, mas é nossa. A festa da Imaculada Conceição. De Maria, mãe de Deus. A glória de um padre é a glória da comunidade. O que é um padre sem vocês?”, enfatiza Pe.João Garbossa. “Agradeço a Deus pela vocação. Pelo dom. Não é mérito meu. E agradeço a todas as pessoas que me ajudaram a perseverar neste caminho. Depois desses tantos anos, só tenho que invocar a misericórdia de Deus para que me ajude a continuar a ser igreja neste mundo”, pondera Pe. Ervino. Ao final da missa, um almoço de confraternização foi realizado para celebrar a data.

Pelas vocações

O Superior Regional dos Missionários Scalabrinianos, Pe.Algacir Munhak, celebrou a missa dos aniversários de ordenação presbiteral, ao lado do pároco anfitrião do Pe. Alejandro Cifuentes Flores, e destacou a iniciativa diocesana de incentivar o surgimentos de novas vocações sacerdotais. “Quero felicitar a Diocese de Santo André, na pessoa de Dom Pedro Carlos Cipollini, por essa bela iniciativa de instituir o Ano Vocacional Diocesano. Nós sabemos que a necessidade de evangelizadores e os desafios que acompanham a ação evangelizadora no mundo precisa de novos sacerdotes, de novas vocações, de missionários e missionárias consagradas”, comenta. Segundo Pe. Algacir, o legado centenário da Congregação dos Missionários de São Carlos Borromeu, com as presenças dos padres scalabrinianos em três igrejas matrizes – Santo André, São Bernardo e Ribeirão Pires – desde o início do século passado e antes da fundação da Diocese de Santo André, já trouxeram muitos frutos para a região, juntamente aos migrantes que ajudaram a construir as cidades do Grande ABC. “Que Deus continue abençoando as vidas de tantos leigos e de tantas pessoas comprometidas com a Igreja, em diferentes ministérios, mas também na animação vocacional. E que, de fato, desta Igreja Particular, destas mais de cem paróquias, possam surgir novas vocações para acompanhar o povo santo de Deus, que aqui vive, que aqui trabalha e que aqui espera e busca o encontro com o Senhor”, salienta.

Compartilhe:

Homilia, Missa do Jubileu Diocesano 70 Anos da criação da Diocese de Santo André

Ginásio lotado com mais de 7 mil pessoas marca celebração dos 70 anos da Diocese de Santo André

Catedral diocesana celebra sua padroeira

Padre Toninho assume nova missão na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Jovens Sarados comemoram 15 anos com missa presidida pelo bispo diocesano

ENCONTRO CHEGA AO FIM COM REFLEXÃO SOBRE PERSPECTIVAS PARA A AÇÃO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIL

PARTICIPANTES DE ENCONTRO DESTACAM PROPOSTA DE SINODALIDADE NA AÇÃO PASTORAL DA IGREJA

“O COORDENADOR DE PASTORAL É UM MEDIADOR DA GRAÇA DE DEUS E PROMOVE A COOPERAÇÃO NA COMUNIDADE”, DISSE NÚNCIO APOSTÓLICO

Encontro Diocesano dos Coroinhas e Cerimoniários reúne mais de 2500 jovens e crianças

Nossa Senhora do Carmo