Diocese de Santo André

É preciso cuidar

Nestes dias, além da pandemia da Covid-19, a tristeza e até mesmo revolta, toma conta do coração ao constatar, além da corrupção, a falta de bom senso, tanto do povo como das autoridades, no lidar com a pandemia, e nem diga, a agonia com a falta de vacinas para todos.

Além de tudo isto, os gestos de maldade praticados contra inocentes são graves. O assassinato do menino Henry, de 4 anos de idade, dentro de sua própria casa e ao que tudo indica, praticado por quem deveria cuidar dele, o padrasto, é um alerta para a sociedade.

A violência contra a criança com frequência ocorre dentro da própria casa, no ambiente familiar. A Sociedade Brasileira de Pediatria estima que mais de 100 mil crianças morreram vítimas de agressões nos últimos dez anos no Brasil. É um verdadeiro massacre dos inocentes, a exemplo do que praticou Herodes com as crianças de Belém, na tentativa de matar o menino Jesus.

Creio que diante deste cenário não existem soluções fáceis. Tenho convicção, porém, que o nosso futuro e a resolução desta crise, passa pela solidariedade. Penso isto não só por causa de minha fé em Jesus Cristo, que nos deixou o mandamento do amor, o qual na prática, se traduz em solidariedade; mas é também uma questão antropológica, de sobrevivência da raça humana.

Sem solidariedade não haverá progresso para todos e consequentemente não haverá paz, porque a paz é fruto da justiça. E não há justiça maior que dar a todos o direito à vida digna, o que só é possível com a partilha e o cuidado de uns para com os outros.

Hoje se fala da “ética do cuidado”, tanto o Dalai Lama, budista, como os teólogos católicos chamam de ética do cuidado o cumprimento do mandamento de Jesus: “Amai-vos uns aos outros” (Jo 15,12). Ética significa princípio universal que a razão percebe, não o instinto. O instinto de sobrevivência às vezes torna as pessoas agressivas. Mas a razão percebe que é na união que poderemos ser mais fortes, é se agrupando e se ajudando, cuidando uns dos outros, que poderemos vencer os maiores desafios.

Jesus, aliás, disse que é o bom pastor. O que faz um pastor? Cuida do rebanho. Jesus disse: Eu sou o bom pastor, dou a vida pelas minhas ovelhas (Jo 10,11). Ele também fala dos mercenários que assaltam o rebanho para explorá-lo e, não raro matar as ovelhas. O mercenário é nosso lado escuro: explorar ao invés de partilhar; agredir ao invés de cuidar; tirar proveito de tudo em prejuízo dos outros, ao invés de ser fraterno e cordial.

Cuidar, no entanto, é nossa estrutura radical. No mais íntimo de nosso ser sentimos o apelo de cuidarmos uns dos outros. Como sabemos disso? Porque quando o fazemos nos sentimos bem, nos sentimos realizados.

Padre Libânio, teólogo, explica o que é cuidar. Diz ele que cuidar é “mudar o olhar”. Nós temos dois modos de olhar as coisas, dois olhares: o do sujeito (Pastor) e o do objeto (mercenário). O olhar do objeto olha e pergunta: como funciona? Qual sua utilidade? O olhar do sujeito, olha e pergunta? Quem fez isto? Quanto tempo gastou? Com que carinho deve ter se esforçado para conseguir? O olhar do objeto só vê coisas e pergunta pela sua utilidade. O olhar do sujeito vê a alma das coisas, com sentimento que faz perceber o mistério e a beleza dos seres que nos rodeiam.

Se quisermos uma sociedade com futuro melhor para todos, é preciso cuidarmos uns dos outros e também da natureza, mudando nosso olhar!

* Artigo por Dom Pedro Carlos Cipollini, bispo da Diocese de Santo André

Compartilhe:

Ginásio lotado com mais de 7 mil pessoas marca celebração dos 70 anos da Diocese de Santo André

Catedral diocesana celebra sua padroeira

Padre Toninho assume nova missão na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Jovens Sarados comemoram 15 anos com missa presidida pelo bispo diocesano

ENCONTRO CHEGA AO FIM COM REFLEXÃO SOBRE PERSPECTIVAS PARA A AÇÃO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIL

PARTICIPANTES DE ENCONTRO DESTACAM PROPOSTA DE SINODALIDADE NA AÇÃO PASTORAL DA IGREJA

“O COORDENADOR DE PASTORAL É UM MEDIADOR DA GRAÇA DE DEUS E PROMOVE A COOPERAÇÃO NA COMUNIDADE”, DISSE NÚNCIO APOSTÓLICO

Encontro Diocesano dos Coroinhas e Cerimoniários reúne mais de 2500 jovens e crianças

Nossa Senhora do Carmo

nomeacoes

Nomeação e provisões – 03/07/2024