Diocese de Santo André

Jesus Eucarístico renova missão dos ministros na ação cotidiana

Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito”, (Rm 12, 2). Essa passagem do evangelho traduz resumidamente como foi a Noite de Espiritualidade organizada pela Comissão Diocesana de Ministérios Extraordinários na noite de quarta-feira (19/02), para mais de cem coordenadores e ministros das 106 paróquias da Diocese de Santo André que renovaram o compromisso de ser cristão nas ações do cotidiano.

Esse 1º Encontro Formativo de 2020 aconteceu no Auditório Dom Jorge Marcos Oliveira do Edifício Santo André Apóstolo da Cúria Diocesana, no Centro andreense, e foi conduzida pelo assessor da Comissão Diocesana dos Ministérios Extraordinários, Pe. Gonise Portugal da Rocha, acompanhado do seminarista Willian Maia.

Após a entrada de Jesus Eucarístico, os participantes meditaram sobre a missão de ser ministro, por meio de louvores, cânticos e reflexão da Palavra de Deus.

Ação cotidiana

“É preciso reafirmar o nosso compromisso. Como trazer o ministério para a vida cotidiana? Não só apenas quando está servindo na igreja. Ali é o ápice, quando você está exercendo seu ministério, mas no dia a dia, no relacionamento com os seus irmãos na comunidade, com a sua família, não pode haver separação e vestir uma outra camisa que não seja a do cristão católico”, alerta Pe. Gonise.

O sacerdote propôs um exame de consciência de como cada ministro está se colocando a serviço do povo de Deus no cotidiano.

“Como vocês transformam a realidade, a sua família, sua casa, sua comunidade? Será que estamos dando sabor as coisas de Deus? Para as pessoas que ainda estão engatinhando e querem fazer a experiência desse encontro com o Senhor e faz essa experiência através dessa mediação humana, através dos sinais, precisamos ser uma referência do amor de Cristo, esse sinal para as pessoas”, indica.

Igreja em saída

A auxiliar de montagem Edna de Araújo Souza, 46 anos, que exerce o ministério há cinco anos na Paróquia Nossa Senhora das Graças, na Região Diadema, considera de fundamental importância esses momentos de reflexão para renovar a missão.

“Se não tivermos a espiritualidade para chegar ao nosso próximo, para levar Jesus Cristo, não somos nada. Primeiro temos que nos elevar diante de Cristo para levá-lo aos nossos irmãos, principalmente para aqueles que estão nas casas, doentes, idosos e quem não tem condições de ir até a igreja”, constata.

Aprendizado ao próximo

Já a dona de casa Marlene da Silva, 46 anos, ministra há seis anos na Paróquia Santo Antônio, na Região São Bernardo – Anchieta, avalia que a meditação sobre a Palavra de Deus trouxe luz para atuação dos ministérios.

“É nosso compromisso passar aos irmãos essa espiritualidade que tivemos aqui. O amor de servir Jesus não pode ser visto como obrigação. Por isso, vivendo esse momento vou procurar me fortalecer, vivenciar cada vez mais essa espiritualidade e passar para minha comunidade”, promete.

8º Plano de Pastoral

Os encontros formativos para coordenadores e ministros extraordinários atendem, principalmente, aos itinerários 1,2 e 3 do 8º Plano Diocesano de Pastoral, que trazem ações voltadas à cultura e espiritualidade do acolhimento.

O casal coordenador diocesano da Comissão dos Ministros Extraordinários, Maria da Penha Santos, 59 anos, e Cláudio Manoel Pestana, 60 anos, demonstrou felicidade com a boa presença dos ministros durante a noite de espiritualidade.

“Somos servos de Nosso Senhor Jesus Cristo e temos que levar a nossa humildade para nossa vida, sempre. O ser ministro não é apenas estar distribuindo o Corpo e Sangue de Jesus para seus filhos. O ser ministro é quando você sorri para seu vizinho, quando chega na paróquia e acolhe os que estão chegando, com uma palavra, um abraço. Tudo isso faz parte do ministério e do sim a Jesus”, analisa o casal.

Responsabilidade dos ministérios

Por fim, Pe. Gonise afirmou que cada ministro deve ser um exemplo em suas comunidades, por meio de testemunhos e ações para aqueles que tenham vontade em desempenhar a função no futuro. “Para quem quer ser sacerdote, a melhor propaganda vocacional é o padre. Será que os jovens sentem alegria em ver o padre? É algo que precisamos refletir diante do Senhor como atuamos e somos esse exemplo positivo para as pessoas”, comenta.

Para isso, o sim para Jesus Cristo deve ser firmado em sua totalidade. “Dei o sim para ser ministro, não fragmentado. Ele nos quer por inteiro. Tenho que ser responsável. Que Deus nos  a graça de assumir cada vez mais essa responsabilidade diante da Tua presença”, finaliza Pe. Gonise.

O próximo Encontro Formativo acontecerá em maio. Fique por dentro das próximas agendas no site www.diocesesa.org.br .

Compartilhe:

Homilia, Missa do Jubileu Diocesano 70 Anos da criação da Diocese de Santo André

Ginásio lotado com mais de 7 mil pessoas marca celebração dos 70 anos da Diocese de Santo André

Catedral diocesana celebra sua padroeira

Padre Toninho assume nova missão na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Jovens Sarados comemoram 15 anos com missa presidida pelo bispo diocesano

ENCONTRO CHEGA AO FIM COM REFLEXÃO SOBRE PERSPECTIVAS PARA A AÇÃO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIL

PARTICIPANTES DE ENCONTRO DESTACAM PROPOSTA DE SINODALIDADE NA AÇÃO PASTORAL DA IGREJA

“O COORDENADOR DE PASTORAL É UM MEDIADOR DA GRAÇA DE DEUS E PROMOVE A COOPERAÇÃO NA COMUNIDADE”, DISSE NÚNCIO APOSTÓLICO

Encontro Diocesano dos Coroinhas e Cerimoniários reúne mais de 2500 jovens e crianças

Nossa Senhora do Carmo