Diocese de Santo André

A Casa de Nazaré é dedicada a Deus

Quando a construção ou a reforma de uma igreja termina, a celebração que marca a vida dela tem o nome de “dedicação”, que pode ser traduzida como consagração. Toda a igreja é dedicada por excelência à Santíssima Trindade, a Nosso Senhor Jesus Cristo e seus títulos; ao Espírito Santo, a Santíssima Virgem, aos Santos Anjos, aos santos inscritos no Martirológio Romano (Livro litúrgico usado pela Igreja para anunciar as festas dos santos na véspera do seu dia).

Foi o que aconteceu na noite do dia 28 de junho, terça-feira, em um rito belíssimo e muito rico de significados, nosso bispo diocesano Dom Pedro Carlos Cipollini dedicou a Paróquia Sagrada Família (Região Pastoral São Bernardo do Campo Anchieta).

Com toda a igreja com suas luzes apagadas, a comunidade estava feliz e emocionada pela finalização de toda obra realizada na paróquia, fruto da união e árduo trabalho de todos, então sendo aspergidos pela água e purificados, assim como as paredes da igreja.

Dom Pedro iniciou sua homilia saudando a todos os presentes, Padre Everton Gonçalves, pároco e vigário pastoral; os diáconos transitórios e permanentes, aos presbíteros que estavam presentes e fizeram parte da comunidade, também saudou Padre Paulo Afonso que por muitos anos foi pároco da paróquia e que iniciou as obras realizadas.

“Nós queremos que Deus esteja aqui, para abençoar, dirigir e acompanhar o seu povo, em especial o povo desta querida paróquia. Que Ele esteja aqui, neste local, que será sempre de portas abertas para acolher, em especial os pobres, aqueles que buscam com angústia, conforto e a palavra”, ressalta o bispo diocesano.

O bispo ainda em sua homilia falou sobre dedicar uma igreja, é fazer com que o templo seja santificado e destinado a sinalizar a presença de Deus entre nós. Remete também uma fala de Jesus: “Eu estarei convosco até o fim dos tempos”, ressaltando que Jesus está presente na comunidade de diversas formas: no sacrário da paróquia, no altar, onde se oferece o Santo Sacrifício da Eucaristia, e presente na palavra dita no ambão, e sobretudo quando unidos por amor.

“A casa da Família de Nazaré é um local de alegria, por mais tristeza que exista em nossas vidas, dificuldades e angústias, por mais tristeza que exista, aqui encontramos o senhor que é a nossa alegria, a alegria do Senhor é a nossa força. A dedicação desta igreja, que está sob a proteção da Sagrada Família é regada de simbolismos, a Sagrada Família é a comunidade que dá origem à igreja, ali está Jesus, Maria e José. O dia de hoje ficará marcado na memória de todos, uma menção especial a Dom Décio Pereira, que em sua generosidade criou essa paróquia, há 24 anos”, finalizou Dom Pedro.

Após a homilia, iniciou-se o rito de dedicação. Ainda com as luzes apagadas, o ministério de música junto com toda a igreja entoou a Ladainha de Todos os Santos, Dom Pedro ungiu o altar e paredes onde estavam as doze cruzes, que representam os doze apóstolos de Jesus, fez incensação e pediu para que Padre Everton e Padre Paulo fizessem a incensação também das paredes da igreja.

Cada parte do rito tem um significado na dedicação, conheça abaixo:

  • Aspersão da água: a água aspergida logo no início é um clamor para que todo local seja purificado, lavado por Deus, tanto as paredes quanto cada fiel que participa. E um rito penitencial, por isso não há o ato penitencial como de costume.
  • Unção do Altar e Paredes com Santo Óleo do Crisma: As unções do altar e das paredes mostram que aquela mesa que será usada para o sacrifício eucarístico, a unção ainda exala o belo e agradável odor que todos somos chamados a exalar, o odor de Cristo (2Cor 2,15).
  • Incensação do Altar: O incenso, a fumaça que sobe aos céus, são as nossas orações, nossos pedidos elevados ao Pai. O incenso é usado nas celebrações desde os primórdios da história da Igreja.
  • Iluminação do Altar e Igreja: Cristo é a Luz que ilumina, a Luz por excelência que nos tirou da escuridão. Por Ele somos iluminados, por Ele também iluminaremos por onde andarmos.

Emoção em ser a Casa da Sagrada Família

Os fiéis atentos a cada momento do rito sentiam-se orgulhosos de toda dedicação para reerguer a casa da Sagrada Família. A emoção também estava nos olhos do Padre Everton e Padre Paulo Afonso, pois um completou o outro para a finalização dessa linda obra na comunidade.

Depois da liturgia eucarística, o pároco anfitrião convidou Dom Pedro e Padre Paulo Afonso para que juntos inaugurassem a placa comemorativa e que fosse aberto o jubileu paroquial, rumo aos 25 anos.

Padre Everton então, diante de todos os presentes iniciou ressaltando a linda celebração da dedicação, e que diante de tudo vivido, a comunidade tem a certeza de que não trabalhou em vão, pois o Senhor sempre foi a força da paróquia. Agradeceu o Padre Paulo Afonso pelo incansável pastoreio, por ter sido pai, pastor e acima de tudo homem de Deus para todos que por ali passaram, nesse momento a comunidade vibrou com muitas palmas e a emoção era visível aos olhos.

“Mais uma vez a Casa de Nazaré se mostrou verdadeiramente como ela é, alegre, acolhedora, bondosa e cheia de garra. Que lembremos também daqueles que não estão mais conosco, mas fizeram tanto para que chegássemos até aqui. A igreja de pedra está concluída, mas a igreja viva formada de pedras vivas e escolhidas que somos nós, precisa continuamente se renovar, pois somos peregrinos sempre a caminho, e só estaremos completamente prontos com a chegada da morada eterna. E muito obrigada Dom Pedro por ter nos concedido esse presente, conte sempre com a nossa paróquia para ser presença de amor e pertença diocesana”, concluiu o pároco.

 

 

 

Compartilhe:

Ginásio lotado com mais de 7 mil pessoas marca celebração dos 70 anos da Diocese de Santo André

Catedral diocesana celebra sua padroeira

Padre Toninho assume nova missão na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Jovens Sarados comemoram 15 anos com missa presidida pelo bispo diocesano

ENCONTRO CHEGA AO FIM COM REFLEXÃO SOBRE PERSPECTIVAS PARA A AÇÃO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIL

PARTICIPANTES DE ENCONTRO DESTACAM PROPOSTA DE SINODALIDADE NA AÇÃO PASTORAL DA IGREJA

“O COORDENADOR DE PASTORAL É UM MEDIADOR DA GRAÇA DE DEUS E PROMOVE A COOPERAÇÃO NA COMUNIDADE”, DISSE NÚNCIO APOSTÓLICO

Encontro Diocesano dos Coroinhas e Cerimoniários reúne mais de 2500 jovens e crianças

Nossa Senhora do Carmo

nomeacoes

Nomeação e provisões – 03/07/2024