Diocese de Santo André

Pedi ao Senhor da Messe que envie operários

Em agosto celebramos o padroeiro dos padres São João Batista Vianey, Cura d‘Ars e por isso, se convencionou dedicar o mês de agosto a rezar de maneira especial pelos sacerdotes. A palavra vocação evoca-nos o chamado à santidade em primeiro lugar, o que é válido para todos os batizados. Mas em especial se refere à vocação dos sacerdotes, os presbíteros da Igreja. O mês de agosto foi instituído como mês vocacional, pelos bispos do Brasil (CNBB), em 1981, na 19ª Assembleia Geral, com a finalidade de aprofundar a conscientização sobre o chamado de Deus a cada batizado em seu particular estado de vida.

Todas as vocações a partir de nossa fé e dos Evangelhos, têm sua referência em Cristo. É Ele a chave necessária para a compreensão das realidades tanto batismais como sacerdotais em nossa Igreja.

Na primeira semana do mês de agosto, celebramos a vocação sacerdotal. Com o único e definitivo sacrifício da cruz, Jesus comunica a todos os seus discípulos a dignidade e missão de sacerdotes da nova e eterna Aliança. Os batizados são as pedras vivas com as quais se constrói o edifício da Igreja (cf. 1Pd 2,4-5).

Os presbíteros, são escolhidos entre os batizados para participar da missão e consagração de Cristo mediante o sacramento da Ordem, em virtude do qual são configurados a Jesus Cristo Pastor, com a missão de anunciar a Boa-Nova em nome e na pessoa de Jesus.

Na segunda semana celebramos a vocação ao matrimônio juntamente com a Semana da Família que foi chamada por São João Paulo II de “santuário da vida”.
Na terceira semana celebramos a vocação à vida religiosa. Os religiosos e consagrados, dão o exemplo de uma vida santa e dedicada a viver a “radicalidade evangélica”, assumindo a pobreza, castidade e obediência em comunidade de vida.
Na quarta semana celebramos a vocação laical. Os leigos e leigas são testemunhas da alegria do Evangelho em todos os ambientes. É significativo que no último domingo do mês celebramos o “dia do Catequista”. Vocação que sobressai entre os ministérios laicais.

Convido nossa Igreja a rezar pelos sacerdotes e em especial rezar e se empenhar pelas vocações sacerdotais. O serviço de animação vocacional é uma urgência pastoral para todas as dioceses, mas em especial para nós.

Quero agradecer de modo especial as “Mães (pais) e Madrinhas (padrinhos) orantes pelos sacerdotes”, esta iniciativa tão bonita, surgida em nossa Igreja para sustentar os sacerdotes e as vocações com as orações.

*Artigo de Dom Pedro Carlos Cipollini para o Jornal A Boa Notícia

 

Compartilhe:

Ginásio lotado com mais de 7 mil pessoas marca celebração dos 70 anos da Diocese de Santo André

Catedral diocesana celebra sua padroeira

Padre Toninho assume nova missão na Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora

Jovens Sarados comemoram 15 anos com missa presidida pelo bispo diocesano

ENCONTRO CHEGA AO FIM COM REFLEXÃO SOBRE PERSPECTIVAS PARA A AÇÃO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIL

PARTICIPANTES DE ENCONTRO DESTACAM PROPOSTA DE SINODALIDADE NA AÇÃO PASTORAL DA IGREJA

“O COORDENADOR DE PASTORAL É UM MEDIADOR DA GRAÇA DE DEUS E PROMOVE A COOPERAÇÃO NA COMUNIDADE”, DISSE NÚNCIO APOSTÓLICO

Encontro Diocesano dos Coroinhas e Cerimoniários reúne mais de 2500 jovens e crianças

Nossa Senhora do Carmo

nomeacoes

Nomeação e provisões – 03/07/2024